Neuromancer: o livro que construiu o futuro

Desde que ouvi pela primeira vez a palavra ciberespaço, eu já sabia que era nele que eu queria trabalhar. Ciberespaço é um universo virtual criado no livro Neuromancer, de William Gibson, que depois virou sinônimo de internet. O livro de ficção-científica se enquadra no “gênero ficcional cyberpunk, e une informática e inquietações histórico-filosóficas com tramas cheias de ação e violência” que acontecem num futuro apocalíptico extremamente tecnológico. E é sobre ele que vou falar nesse post, pq nem só de roupas e makes é feito esse blog, e a leitura é uma das minhas grandes paixões.

Neuromancer é um livro genial, fruto da imaginação incrível de seu autor. Ele conta a história de um cowboy virtual (hoje seria um hacker) chamado Case que vivia pelas ruas de uma cidade devastada em um futuro obscuro cometendo pequenos crimes. Ele foi resgatado por Molly, uma samurai com implantes oculares e lâminas sob as unhas para uma missão na Matrix.

Sim! Este livro foi o que inspirou os filmes Matrix, e todos os seus desdobramentos. O livro é bem diferente do filme, mas a ideia é a mesma. A Matrix é como uma cidade virtual onde as coisas acontecem melhor do que na vida real. Aliás, durante toda a leitura, tive dificuldades de identificar quando os personagens estavam na Matrix ou não.

O livro foi lançado em 1984, tem um dialeto próprio inventado pelo autor e é preciso ter muita imaginação para acompanhar a confusa e mal escrita (ou mal traduzida) história. Apesar de considerado datado, ele traz uma impressionante projeção do futuro. Muita coisa realmente não aconteceu conforme o livro, nem poderia mais. Mas em tantas outras ele acertou na mosca, ou chegou muito perto.

Nele, fax, telefones com fio, disquetes, papel e muito neon se misturam com naves espaciais, viagens à órbita da terra como se fosse logo ali, pessoas com membros biônicos, carros que te levam ao endereço certo sem sequer um motorista e ainda conversam contigo e até uma espécie de Google, onde é possível fazer buscas de todas a notícias do momento num equipamento chamado Hosaka. Em alguns momentos visualizamos Case com seus dedos “voando sobre o console” como se jogasse um videogame, em outros, ele está tão dentro na Matrix, que podemos enxergá-los fisicamente ao lado do flatline Dixie, um construto do cérebro de um hacker já morto. A sensação é essa, de estar o tempo todo dentro de um videogame.

E vai dizer, essa coisa de mentes copiadas em ROM, robôs que criam vida e dominam os humanos, e todo o lado negro que os avanços da tecnologia podem ocasionar é muito Black Mirror!

No fim do livro, tem uma crítica incrível de uma jornalista da PUCRS, Adriana Amaral. Ela descreve Neuromancer como um “colapso do futuro no presente. Pós-humanidade. Obsolência do homem. Globalização. Espetáculo e consumo”. Acho que estamos realmente muito próximos dessa ideia de futuro. Um livro que mistura citações, intertextos, paródias e colagens da cultura pop e da história da ficção científica e nos leva pra dar uma volta no lado selvagem da guerra das gangues pelo domínio do ciberespaço.

Uma coisa que gostei muito é o protagonismo e a força das mulheres na história. Que descreve cada personagem feminino como extremamente inteligentes, inventoras, lutadoras. No fim das contas, são elas as que comandam a porra toda!

Através da personagem Molly, Gibson inverte o papel dos gêneros masculino e feminino. Enquanto Case toma um papel passivo durante o curso da história em suas incursões pelo cyberespaço, Molly é a epítome do “leão-de-chácara”: mesmo não sendo imponente e retendo qualidades femininas, ela é fisicamente forte, durona, sem remorsos, ganhando a vida como guarda-costas/mercenária. Praticamente um trabalho de homem, certo? Não no mundo de Gibson, e não no nosso.” The Laughing Man

Genial e tão atual, né?

Apesar de toda a confusão mental e o nó na cabeça que esse livro me proporcionou e de ter demorado muito para engrenar na leitura, tendo que voltar diversos capítulos muitas vezes, estremeci e arrepiei nas últimas linhas.

Como descreveu o autor Cory Doctorow, “Neuromancer não previu o futuro. Neuromancer criou o futuro”.  Só lendo para saber!

(música do U2 em homenagem ao livro)

 

Anúncios

Resenha: Revlon Colorburst Lacquer Balm

IMG_6033

Experimentei o Colorburst Lacquer Balm da Revlon que ganhei de uma amiga e estou adorando.

Esse batom é um lip balm colorido incrível, que deixa os lábios bem hidratados, brilhantes e com muita cor. O meu é o Exubérante (Vivacious), um rosa bem vivo, levemente translúcido com acabamento brilhoso (o quarto da esquerda para a direita na foto acima).

só não reparem nos meus olhos vermelhos, que a alergia tá pegando aqui :/só não reparem nos meus olhos vermelhos, que a alergia tá pegando aqui :/

Todos, pelo que entendi, são brilhosos, já que a promessa é: bálsamo ultra brilhante. Eu gosto muito e confesso que estou um pouco de saco cheio dos mattes. Estou com 33 anos e acho que os acabamentos matte marcam muito as linhas de expressão da boca, me deixando com um aspecto envelhecido, enquanto o brilho dá um ar mais jovial.

A textura é realmente bem hidratante, a aplicação é simples pela ponta fina que desliza facilmente nos lábios e a cor se mantém por bastante tempo e vai ficando mais opaca a medida que o batom fixa.

Eu ameei e tenho usado bastante o meu. Achei perfeito pra usar durante o dia e deixa os lábios super macios, além das cores serem super alegres e divertidas.

O meu foi comprado no freeshop em Rivera, cidade uruguaia que faz fronteira com Sant’Ana do Livramento (onde eu moro), mas como foi presente, não sei o preço. Mas, já vi q tem pra vender em diversos sites na web.

balmEra isso, super recomendo.

Beijos e força na peruca que amanhã já é sexta! o/
Lu

Resenha: kit Lola Super Star + Garota Veneno

Oi meninas,

Passei aqui pra falar dos produtos que comprei há um tempo pela internet, e apesar de ter demorado mais de um mês para chegar, tá arrasando nos resultados! É o kit Lola Super Star e a  Máscara Tonalizante para ruivas Garota Veneno.

Queria contar especialmente que os produtos Lola Super Star são tão divertidos porque tem uma proposta bem cool, sugerindo um estilo de vida. “Levar a vida com bom humor, ainda que nada pareça dar certo, nem mesmo seu cabelo”.

Lola cosmeticts

Já na embalagem, a chamada convida pessoas criativas e ousadas a se aventurar nas cores e mudanças capilares:

“Ok, seu cabelo agora está preto, amanhã pode estar vermelho e depois loiro.
Sem problemas, Super Star dá conta do recado!
Acompanha suas mudanças sempre em sintonia com a sua criatividade.
Seja uma estrela!
Ouse e brilhe.”

Super me identifiquei com a proposta da marca e fui correndo testar. O trio de shampoo, condicionador e creme de pentear é indicado para cabelos coloridos em tons vermelhos. Já o tonalizante Garota Veneno serve para potencializar a cor de cabelo alaranjados.

No meu cabelo deu super certo porque o tonalizante realmente dá mais vida e cor aos cabelos ruivos, a diferença é mesmo visível. Notei que o meu cabelo ficou com reflexos muito mais vibrantes e mais alaranjados. E o kit serve como complemento para manter a cor que vai desbotando com o tempo. Mas não colore tanto.

O shampoo é antioxidante e possui Ativos como: Extrato de Açaí, contém sais minerais que atuam como remineralizante, além de possuir propriedades hidratantes e emolientes os cabelos; e Óleo de Amêndoas Doces que garante brilho intenso. Repõe vitaminas e minerais perdidos durante os tratamentos químicos, promovendo maior fixação da cor vermelha nos cabelos.

Como todos os produtos tem pigmentação e o meu cabelo é bem seco, uso o condicionador em todo o cabelo, desde cima. Ele não é muito gorduroso (pra cabelos secos como o meu as vezes tem que ser), mas ainda assim deixou meu cabelo macio na medida. O creme pra pentear também estou usando desde cima, e não só nas pontas como costumo usar, por causa da coloração. E acho que está funcionando legal, mas a diferença na cor fica bem sutil e aparece mais no sol.

Eu fiz uma progressiva há pouco tempo, então meu cabelo está bem macio e brilhoso. Mas, usando os produtos Lola Cosmetics achei que o resultado foi bem satisfatório. O cabelo fica soltinho, com movimento, e ainda ajuda a manter a cor, que desbota muuuito rápido.

11745742_965629670164030_2914389717843496892_nFotorCreatedEu gosto de revesar os shampoo/ condicionador vermelhos com outro normal a cada lavagem. Mas tenho mantido o uso do leave in colorido pra dar uma potencializada na cor.

Super recomendo!

 

RESENHA: kit Bonacure Color Freeze Colored Ends da Schwarzkopf – UPGRADE

20140827_132929 (1)-vert

O Shampoo é super suave. Como eu não conhecia a produto, peguei bem pouco e tive que colocar um pouco mais pra cobrir todo o cabelo. Mas eu tenho muuuito cabelo, então achei normal acontecer isso.  Meu cabelo é seco por isso lavo dia sim, dia não. Mas dependendo do produto, ele começa a ficar oleoso no dia seguinte. Esse shampoo segurou super bem o meu cabelo limpo por quase dois dias, até a próxima lavagem. O condicionador achei normal, não deixou meu cabelo tão molhinho durante o banho como gosto de fique, mas as pontas ficaram boas depois que sequei.

Eu costumo usar óleo de argan Orofluido pra selar as pontas, mas nem foi necessário. O cabelo já ficou bem ok só com o leave-in, sem fios arrepiados nem pontas espetadas. Como trabalho em escritório com luz branca, o filtro UV ajuda bastante a manter o cabelo bonito, e o shampoo ainda promete combater a porosidade dos fios tingidos. Muito importante! Ponto pra ele.

Como comecei a usar faz pouco, não sei dizer se realmente segura a cor, mas em uma primeira impressão gostei bastante. Não achei que o cabeço ficou tão sedoso quanto poderia, mas ficou bem limpo e brilhoso.

Pelo custo benefício, também não sei se compraria novamente. Paguei R$60 pelos três potinhos em uma super promoção da Coquelux. O John Frieda é super barato aqui em Rivera (sai em média de R$12 a R$14 cada) e me pareceu dar o mesmo efeito. Quando eu comprar de novo faço a resenha!

 

NOTA: 8

Resolvi dar nota oito, pois o preço é super salgado e meu cabelo não ficou de propaganda de TV como eu imaginei. Mas o produto é ótimo, vale a experiência.

E vamos aguardar as próximas semanas, quem sabe a longo prazo eu não mude de ideia?!

 

 

UPGRADE:

Gente, isso é urgente e incrível. De segunda é ainda melhor!

Não sei se foi porque eu economizei nas quantidades na primeira lavada – os potinhos são realmente pequenos 😦 – ou se foi porque a segunda lavada melhora mesmo o efeito da primeira, mas preciso dizer que o meu cabelo ficou mais macio e sedoso desta vez. Espero que os resultados continuem me surpreendendo!

20140830_120522-horz-vert

 

Gostaria muito de saber a opinião de quem já usou. Comenta aí!

lu

 

 

 

Minhas máscaras de cílios

Um dos itens de maquiagem indispensáveis para mim é o rímel. Eu tenho os cílios super curtos, retos e claros, então estou sempre em busca da máscara perfeita!

No momento, eu tenho umas quantas em uso – apesar de o indicado ser abrir uma de cada vez, pois o prazo de validade de um rímel é 3 a 6 meses. Mas, para mim, mesmo usando todos os dias, é impossível terminar uma tão rápido!

Eu compro a maioria das minhas maquiagens aqui em Rivera (cidade do Uruguai conhecida pelos Free Shops, que faz fronteira com Sant’Ana do Livramento, onde eu moro), por isso tenho bastante coisa importada, principalmente da marca Essence, uma marca Alemã que é BBB!

Eu adoro ler a opinião de outras pessoas sobre determinados produtos, assim já tenho uma noção antes de comprar. Essa é a minha intenção hoje, espero que ajude!

Imagem
Revlon Lash Fantasy – primer
Imagem
Revlon Lash Fantasy – máscara

Revlon Lash Fantasy: é uma máscara que vem com dois lados. De um lado é um primer branco, que levanta e dá volume nos cílios, então, ao passar a gente fica com os cílios totalmente brancos. O outro lado é a máscara, bem fininha e preta, que só serve para “pintar” o branco. Faz tempo que eu tenho ela e hoje em dia só o lado branco ainda funciona, a parte preta já está seca, isso que cuido para sempre ficar bem fechado! Ela é boa, mas pelo fato de ter secado tão rápido, não compraria de novo. O lado branco uso com meus outros rímeis, quando eu quero um efeito de cílios bem volumosos.

Imagem
Benefit Bad Gal Lash

Benefit Bad Gal Lash: este rímel eu comprei em uma lojinha na internet (essa marca não tem em Rivera). Ela vem num kit da Benefit que se chama Full Glam Ahead, vem junto com o primer de olhos Stay Don’t Stray e o iluminador High Beam, estava com um preço bom e frete grátis. Eu achei ela bem normalzinha e jamais pagaria o preço que ela custa (em média R$ 90,00 pela internet)!!! Existem outras muito mais baratas que cumprem a mesma função. Além de que o aplicador é enorme e meu olho é pequeno, isso dificulta na aplicação.

Imagem
Maybelline The Colossal Volum Express

Maybelline The Colossal: é uma das melhores que já usei! Dá bastante volume, alonga, não borra muito (a maioria das máscaras ficam borradas em mim!). É fácil de encontrar em qualquer farmácia e o preço é bom. A minha é a lavável, o a prova d’água gruda no olho pra sempre, quem usou reclama muito. Mas esse rímel eu recomendaria que todo mundo usasse ao menos uma vez na vida para experimentar.

Imagem
Essence Multi Action Smokey Eyes

Essence Multi Action Smokey Eyes: essa é a minha preferida do momento. Desde o primeiro uso ela foi ótima! Ela já vem grossinha, a maioria dos rímeis só ficam bons depois que de um tempo em uso, quando estão mais velhos. A duração é ótima, alonga, dá volume na medida certa. Recomendo para o dia a dia! As máscaras da essence são difíceis de achar para vender na internet, mas tem alguns sites de meninas que moram na Alemanha e enviam para o Brasil.

Imagem
Essence Multi Action Waterproof

Essence Multi Action Waterproof: eu estava em busca de uma máscara à prova d’água e como gosto muito da máscara da Essence que citei anteriormente, resolvi comprar esta para experimentar. Logo no primeiro uso ela foi maravilhosa! O pincel dela é perfeito para mim, bem pequeno. Ela alonga bem, dá um volume legal e provou ser muito eficiente, pois eu tomei um belo banho de chuva no primeiro dia que usei e ela não borrou nada!! Fiquei apaixonada!

Imagem
Wet’n’wild Mega Protein

Wet’n’wild Mega Protein: este rímel foi a minha última aquisição. Eu nem precisava dele, mas estava bem baratinho e o nome me chamou atenção: se tem proteína deve fazer bem! Mas até agora não consegui gostar dele. Ele está muito líquido, então vou esperar ele ficar mais velho para ver se a textura engrossa um pouco. Até tentei fazer a técnica da Alice Salazar de deixar o rímel aberto por algumas horas e depois misturar ele com um rímel mais velho (posso explicar isso melhor em um outro post), mas ainda não ficou bom. Quem sabe daqui a uns meses melhora!

Na foto principal tem algumas máscaras a mais, que são as minhas coloridas, mas isso resolvi deixar para outro post.

Deixe um recado se tiver algum rímel igual ou alguma indicação de produtos bons!!! Eu vou adorar saber!

Beijos!

assinaturas_blog_ana