Happy Star Wars Day

Hoje é o dia que os fãs do Star Wars comemoram o Star Wars Day. Isso porque uma das citações mais famosas da franquia, que se repete em vários filmes, é “Que a Força esteja com você”. Em inglês: “May the Force be with you”. Assim, fizessem um trocadilho com esta frase, dizendo “May the Fourth be with you” — traduzindo: Que o 4 de maio esteja com você.

O mais louco, é que hoje saí de casa despretensiosamente com a camiseta do Star Wars, sem nem perceber que dia era hoje. E estou super no clima:

Daí que esse dia nos inspira, e a gente quer ter tudo que tenha o Darth Vader e todos os personagens dessa saga incrível. Por isso, eu resolvi trazer algumas inspirações para ter em casa baseadas nos filmes.

Vem comigo:

SONHOO!!
WOWWW!!
❤ ❤
*–*
APENAS PRECISO DESSES APARADORES DE LIVROS
\o/

Gente, quero tudo!!

Encontrei muitas coisas legais aqui e e aqui.

Quem mais aí é fã do Star Wars e tá felizinho hoje?

E vocês, estão dispostos a entrar pro lado negro da força?! 😀

 

Bjos!

Lu

Tomboy, Boyish, Coco Chanel e a minha adolescência grunge

Lá nos anos 20, Coco Chanel lançou moda com sua irreverência e fez todo mundo desejar invadir os armários masculinos em busca de preciosidades fashion. Tudo o que ela queria era se expressar, manter seu conforto, mas sem perder a elegância. E foi assim que nasceu o estilo Tomboy e as mulheres finalmente passaram a usar pantalonas.

Tomboy, substancialmente, se refere a menina que apresenta comportamento tipicamente masculino. E hoje dá nome às roupitchas inspiradas no guarda-roupa deles, que tanto amamos. Afinal, porque ficar presas a roupas de mulherzinha, se podemos ter tudo, não é mesmo?

E não é que essa moda pegou mesmo, e agora mais do que nunca mulheres do mundo inteiro desfilam com seus sapatos oxfords, calças de alfaiataria, blazers, camisas amplas e até gravatas.

A propósito, a camisaria está em alta, e já encontrou diversas formas de uso, muito mais inusitadas do que o abotoamento certinho.

Os anos 80 e seu estilo Rockabilly, foram o BOOM do estilo Boyish, e trouxe toda aquela maravilhosa informalidade dos anos 90 que hoje está de volta.

Quando eu era adolescente, estava em alta a moda grunge, acho que por isso até hoje tenho um apego a esse estilo largadão. Lembro que eu buscava essa identificação com os meninos o tempo todo, e tentava conquistar o cara que eu tava a fim usando o tênis igual ao dele. Era minha forma de me expressar, de tentar ser aceita.

Naquela época, em meados de 1993, a gente tinha como referências as bandas tipo Nirvana e Guns, usava bandanas, camisas xadrez, calças pijama, jeans destroyed, tênis e moletons gigantes, igualzinho aos meninos. Por isso, pra mim a moda do grunge é a maior referência quando se fala em Boyish, que significa justamente isso: estilo inspirado no guarda-roupa masculino com uma pegada street, mas, diferente do Tomboy, é composto por peças mais modernas e despojadas.

E o melhor da moda é o quanto ela vai e vem, sempre igual, sempre diferente. O quanto ela se transforma, se resgata, se inspira nela mesma. E aquelas mesmas peças desejo de antigamente, voltam a povoar o imaginário atual.

Outro dia passei por uma menina na rua, e tive certeza que era eu na adolescência: calça preta, moletom oversized, cabelo preso baixo, tênis e mochila. E isso é sensacional! Os adolescentes estão voltando a se expressar com a rebeldia e atitude de antigamente.

Eu amo esse estilo! Acho que é algo que ficou guardadinho nas minhas melhores lembranças daquele tempo. E olha que louco, minha essência e objetos desejo talvez continuem os mesmos desde a adolescência.

O outuno/ inverno é uma ótima época para abusar das sobreposições e peças mais pesadas que esse estilo exige. Hora de apostar!

E vcs, curtem o estilo mais despojado dos meninos?

LEIA TAMBÉM:

> Camisa xadrez e a volta da Era Grunge

> Maxi jaquetas jeans

> Grunge: Do rebelde ao fashion

Lu

Pessoas que inspiram a minha vida

Existem pessoas com quem, por algum motivo, a gente se identifica. Pessoas que irradiam luz própria, que falam coisas que a gente queria ter falado. Que, por pura convivência, nos fazem mais criativas e espontâneas junto com elas. Sua influência nos abre a cabeça para mil possibilidades, elas no fazem pensar por outros ângulos, têm sempre uma piadinha inteligente ou um algo novo e bafônico para nos apresentar. São pessoas inspiradoras…

Eu adoro estar rodeada dessas pessoas que eu admiro e que me tornam uma pessoa melhor e muito mais interessante. Pessoas que me incitam a descobrir partes de mim que eu mesma desconheço, que me provocam reações que nem eu mesma esperava. Acredito muito que podemos nos identificar com cada pessoa de uma forma diferente, criando sempre novas conexões entre assuntos, sensações, gostos pessoais e formas de pensar. Mas nem sempre é possível estar perto dos nossos amigos mais (ins)pirados, e como pra mim referência é tudo, busco esses gurus também aqui na internet.

Muito além de contatos, busco pessoas que tenham algum valor para agregar. Acho legal também ter como base pra vida, por exemplo, pessoas que trabalham em empresas tu admira – ou queria trabalhar. Se essas pessoas não forem muito acessíveis, acompanhar blogs, instagram e outras mídias sociais pode dar pistas para saber o que elas fizeram para atingir o sucesso. Espelhar-se em alguém não é algo ruim e pode ajudar com dificuldades e motivações.

Não é a toa que me intitulo Stalker, mas garanto que sou uma stalker do bem, não sou hacker, nem busco informações proibidas, mas sou ótima em dar um search no Google, encontro qualquer coisa que eu queira, e também sou ótima em descobrir pessoas com quem tenho afinidades e novas mídias sociais.  Dessas pessoas, muitas eu sigos e guardo referências de livros, músicas, looks, beleza, locais, tattoos, frases e tudo mais com que eu possa me identificar. Pra mim, somos formados de pedacinhos das pessoas que nos cercam e da mistura de inspiração alheia que, juntas, nos tornam únicos.

Entre as pessoas que mais admiram na web, criei uma listinha com as top 5 it girls mais inspiradoras pra mim:

CAROL TEIXEIRA

Ela é formada em filosofia, é DJ, é ousada, publicou o primeiro livro aos 23 anos, escreve sobre sexo pra Revista Vip e apresenta suas ideias sempre por um viés filosófico. Foi ela que “me apresentou” parte dos melhores livros que já li e abriu minha cabeça para muitos assuntos polêmicos. Além disso, ela tem um blog chamado A Obscena Senhorita C (o nome é referência ao livro A Obscena Senhora D, da escritora e poeta brasileira Hilda Hilst), onde fala sobre sexo diretamente com as mulheres, de forma livre e sem papas na língua – falo mais sobre ele aqui. Fora que ela é super estilosa, usa cabelo rosa e consegue atingir aquele patamar de pessoa bonita AND sensual AND inteligente AND cool que todo mundo sonha um dia alcançar. Sabe aquela pessoa livre, bem resolvida, a frente do seu tempo? É ela.

MARIMOON

A Marimoon dispensa apresentações, aquela pessoa fofíssima de cabelo colorido que arrasa por onde passa. Comecei curtindo sua coragem para ousar, seus  cabelos coloridos e os espartilhos e coturnos incríveis que ela usava, e depois passei a acompanhar mais de perto seus trabalhos, textos e vídeos. Ela desperta esse meu lado mais lúdico e quase infantil, e refina minhas referências sobre quadrinhos, mangás, música pop e desenhos animados que amo desde que me conheço por gente. Além do mais, ela é uma pessoa super do bem, que tem um alto astral incrível, está sempre ensinando coisas legais em seus canais, desde como editar as fotos, até artes, música, comportamento e assuntos geek.  Ela é super inteligente e tem um estilo girlie/ rocker que eu admiro muito!

CAROL BURGO

É uma blogueira que conheci por acaso e que me encanta com seus textos de autoconhecimento. Sabe aqueles textos que a gente pensa: “nooossa, eu queria ter escrito isso!”? Ela tem um bom gosto incrível, é super artística, desapegada, e ao mesmo tempo cria looks super legais. Com ela aprendi muito sobre moda, combinações inusitadas, proporções e cores e, diante de seus conflitos, também um pouco sobre mulheres e sobre mim mesma. Ela é daquelas bem gente como a gente e também tem uma loja virtual com estampas que ela mesma cria, e com um conceito bem criativo, a Prosa.

JOANNA MOURA

Comecei a acompanhar o blog Um ano sem Zara desde a metade do desafio de 1 ano sem comprar roupas que a Jojô se impôs. Nesse ano, ela conseguiu multiplicar seu armário de todas as maneiras possíveis, usando suas peças das formas mais inusitadas, criando misturas improváveis, novas formas de usar uma peça (tipo, vestido com saia) e recriando looks. Aprendi muuito com suas misturanças, e foi com ela que aprendi a misturar estampas, e ampliar as possibilidades do meu guarda-roupa e por causa dela fiquei longos períodos sem fazer compras, e consegui guardar dinheiro para viagens e para me estabilizar financeiramente, o que pra mim foi muito importante. Depois desse ano de aprendizado, ela já guardou uma grana, ascendeu profissionalmente, casou, foi morar em São Francisco e agora está brilhando em Londres. Hoje ela dá dicas que vão muito além das combinações de roupas. Grande inspiração!

YASMIN BRUNET

Pensei muito em quem eu ia eleger para ocupar este quinto lugar na minha listinha de pessoas inspiradoras. E a Yasmin Brunet foi a escolhida porque ando muito conectada com ela nessa vibe de reflexão sobre o quão louca e extraordinária é a nossa existência, esses questionamentos de quem somos e porque estamos aqui nesse planeta redondo, suspenso no espaço. Ela fala muito sobre os mistérios da vida, e o quanto devemos buscar essa conexão com o mundo e com a natureza, que deixamos de lado no nosso dia a dia. Me identifico com ela nesse sentido de ser muito curiosa, estar sempre pesquisando e querer aprender sempre mais sobre tudo. Além disso, admiro a relação dela com a comida, sempre priorizando a nutrição e os benefícios, o que vem da terra, coisas muito naturais. E também a forma simples e desprendida como se veste, acho que mostra bem sua personalidade simples e desapegada. Ela está sempre provocando reflexões e querendo salvar o mundo. Gosto disso, apesar de nem sempre concordar com tudo o que ela fala.

E isso resume um pouco dos meus interesses e de modelos que levo pra vida.

Beijos,

Lu

 

Fishnet: Meia arrastão dia e noite

mediaspantalonSe tem uma coisa que eu amo nessa vida é ousar nos looks de fim de semana. Espero a semana inteira para poder criar looks loucos e inusitados para curtir os dias de folga, daqueles que não se pode usar no escritório.

Como eu curto rock e toda sua atmosfera glam, camisetas de banda, roupas xadrez, maxi peças e looks com pegada grunge estão sempre entre as minhas escolhas. E tem coisa mais rock’n’roll que uma boa meia arrastão?

É por isso que eu to simplesmente amando esse tendência de incluir meia arrastão em tudo. Ou melhor, agora meias fishnet (rede de peixe). E poder tirar um pouco o foco sensual que a peça carrega, e deixar as produções mais fun no maior estilo sexy sem ser vulgar.

Não preciso dizer que, se antes eu já abusava das meias arrastão nas noites loucas regadas ao bom e velho rock’n’roll, agora me joguei e estou buscando novas formas e combinar a peça.

DSC_2272-ANIMATION

Além disso, eu sempre tive problemas com o cós das meias, ficava me sentindo super insegura quando ele ficava aparente e marcando a cintura. Quando vi os looks destacando a meia acima do cós, achei uma ideia genial e cheia de estilo. Quis logo usar também! Como dizem por aí, não é cópia, é inspiração! 😀 ❤

Estou in love com essa moda!meias-arrastao-hamburguesinha-4CALÇASCOMMEIAmediascolorestela-esportista

Eu realmente achava que a meia arrastão deixava o look muito ousado, sexy e mais arrumado, muito night e reservava as minhas para momentos muito específicos. Nunca tinha pensado em usar esse tipo de roupa no dia a dia.

E quem mais me inspirou para mudar essa ideia foi uma instagramer que comecei a seguir há pouco, mas que tenho curtido muito seu estilo, a Glau Pietrobon. Ela é super estilosa, daquelas que usa pouca roupa, faz combinações super simples, mas tem resultados bem descolados e consegue trazer peças que parecem super noite para o dia a dia de forma tão natural, fazendo parecerem básicas como num passe de mágica. Fora as tattoos dela, que eu acho incríveis.

glau

To curtindo muito essa moda e já super ampliei meu olhar sobre os looks, criando muitas combinações diferentes. As vezes a gente precisa só de um empurrãozinho, uma ideia inusitada e um pouquinho de coragem para abrir a cabeça para novas possibilidades.

E vocês, gostam dessa meia estilosa?