Existe fórmula para se vestir?

pint1

É incrível como essas fórmulas prontas não funcionam pra mim. Ter um mix certeiro de bijus, juntar um monte de peças básicas no look, o sapato preferido ou aquele combo que sempre dá certo. Dá certo pra quem, cara pálida?

Não consigo ser tão preto no branco, pelo contrário, quero que o meu look de hoje seja o oposto do de ontem. Voltar a usar aquela calça que usei ontem só na semana que vem. Se tenho usado mais botas ultimamente, então passarei a usar sandálias, tênis ou oxfords.

Não quero ter um combo pronto!

As fórmulas existem, mas não são a minha cara. Nem a tua! Quando estou com preguiça ou muito indecisa, uso jeans e camiseta. Mas não considero nem de longe esse o meu combo fashion. Essa é uma roupa básica, comum, para se camuflar na multidão. Simplesmente uma roupa pra não chamar atenção, provavelmente não seria uma escolha num dia feliz e inspirado. Ou seria?

Depende!

Depende da calça, depende da camiseta. Depende da ideia que veio na minha cabeça. Mas sempre vai ter complementos que vão dar aquele toque meu: uma estampa que eu amo, uma referência a uma banda ou um filme, minhas cores favoritas, uma modelagem que eu me sinto muuito bem, um acessório que traz informação personalizada àquela composição.

pint2

Adoro ler as dicas do Steal the Look, me inspiro muito mesmo. Adoro ler revistas de moda, ver possibilidades, saber das novidades, descobrir novas formas de usar as mesmas coisas. E gosto principalmente de aplicar tudo no meu guarda-roupa. Ver outfits fashion que me façam lembrar de uma blusa q eu tenho, que me dê ideias baseadas nas roupas que já estão lá no meu armário. Isso é legal!

Não imitar integralmente, mas pegar ideias mesmo. Afinal, cada um tem que descobrir o que gosta, e se não tiver fórmula, não tem problema!

Uma das dicas para criar um estilo e perder menos tempo se arrumando é tirar fotos dos looks e depois ver quais as semelhanças entre eles, o que se sobressai, o que estou sempre usando. Eu faço isso há muito tempo, inclusive muitas fotos tenho salvas no meu Pinterest, mas simplesmente não consigo enxergar esses padrões. Pelo contrário, quanto mais diferente de tudo melhor.

É incrível, mas quando vou me enquadrar, acabo seguindo um caminho totalmente contrário. Tipo a banda Radiohead, que ninguém consegue definir se é rock, eletrônica, progressiva, pop ou jazz, no maior estilo experimental. Me identifico!

Também acho que os looks que uso tem muito a ver com fases da minha vida. Se estou num momento baladeira, uso muito brilho, black, meias calças, salto. Se estou em momentos de trabalho pegado, jeans, camiseta, botinhas, alguma alfaiataria. Se estou num momento relax, moletom, calças molinhas, alpargatas, chinelos. Isso são combos para ocasiões diferentes que se apresentam. Qual o que eu mais gosto ou me sinto bem? Bom, depende! Depende do momento, da ocasião, do humor, das pessoas que com quem vou estar interagindo. Tudo isso influencia.

Comprei o livro Questão de Estilo, de Carrie McCarthy e Danielle Lá Porte, que ensina como encontrar seu estilo único, que vale pra vida, pra casa e pro armário, e até pra como nos relacionamos com o mundo. Acho que não sou nada óbvia e não me enquadro em padrões, e por isso está tão difícil encontrar meu estilo . Nada como se conhecer a cada dia um pouquinho mais para saber o que é a nossa cara.

pint3

Quando terminar de ler o livro, comento mais sobre ele aqui. Enquanto isso, fica o moodboard que estou montado sobre minhas preferências e tudo que faz sentido na minha vida, além das roupas. Espia aqui.

Anúncios

Minhas resoluções de estilo para o outono

Vendo um post do site Steal the look que enumera 5 metas de estilo para o outono, fiquei pensando quais seriam as minhas e resolvi postar aqui.

Gosto de estar sempre me desafiando a usar minhas roupas de formas diferentes, por isso, quando surgem novas modas e ideias como as sobreposições e hi-lo eu vou logo testar. E é engraçado, pq sempre parece que tenho roupas novas quando uso novas combinações e me orgulho muito da minha criatividade.

Esse post do Steal, assim como muito outros que vejo por aí, me fez refletir sobre as coisas que tenho, o que não tenho usado e o que posso fazer de diferente.

E olha o que resolvi que vou usar, sem discussão, neste outono:

Lenços

Eu adoro lenços e tenho algumas dezenas em casa, a maioria estampados, porém parece que as nunca é o dia adequado para usá-los, ou porque o dia está quente, ou porque está muito frio e acabamos optando por cachecóis. Mas assim que começa o ventinho mais fresco, é possível usá-los até mesmo com uma regatinha, e fica super cool.

No frio, sempre achei complicado usar lenços com lã, parecia que não combinavam. Mas nessa moda de misturar texturas para deixar os looks mais ricos e interessantes, super orna. Vou testar assim que possível!

Alfaiataria + peças esportivas

Eu to enlouquecida por essas calças com modelagem cenoura, acho elas confortáveis, despojadas, arrumadinhas na medida. Misturando com camiseta em tênis, então, é estilo na certa!

Os moletons nunca sairam do meu top 5 ítens que eu mais amo nesse mundo, especialmente nessa estação em que o frio vem chegando de mansinho. Então, poder coordená-lo com roupas mais arrumadinhas e usar pra todas as ocasiões pra mim é tipo sonho. Fica muito legal!

Pantacourt com botas

Uso pantacourt no verão com tênis, rasteiras e sandálias plataformas, mas com botas ainda me sinto um pouco insegura. Tanto que escrevi esse post sobre o assunto (tudo que trago pro blog vêm das minhas próprias dificuldades em relação ao meu armário). A ideia é buscar inspiração para que possam ser aproveitadas inclusive nas estações mais frias. E não é que tem como?!

Saia midi com tênis e casaco/ malha

A saia midi entrou na minha vida há pouco, ainda me sinto um pouco estranha com ela, mas acrescentando elementos de moda, pode resultar em um look bem legal.

Sobreposições

(estou aperfeiçoando a técnica)

ket2

Adorei a ideia de atualizar o vestido jeans mais fechadinho com uma camiseta por baixo. É um detalhe que modifica e atualiza o look (foto de uma matéria do iLove).

O top por cima ou por baixo da camisa são opções muito simples e muito eficientes que multiplicam o guarda-roupa e fazem com que possamos usar todas as roupas do armário de forma mais funcional.

Usar uma blusinha por cima ou por baixo do vestido auxilia a trazer os looks de verão pros dias mais frios, adoro!

Tudo o que postei é baseado nas possibilidades que tenho no meu armário, espero possa inspirar vocês um pouquinho também!

:*

O yoga e o momento presente

Comecei a fazer yoga no ano passado e ele me ajudou a virar uma chavinha interna que trouxe uma mudança importante na minha vida. Nessa mesma época, comecei a acompanhar no youtube pessoas que têm um estilo de vida minimalista, e isso fez com que eu repensasse também algumas atitudes. Estou longe de ser uma pessoa minimalista, mas tenho tentando ter mais consciência da minha vida e ações.

CONSCIÊNCIA. Essa é palavra-chave que tem mudado a minha forma de ver as coisas.

No yoga a gente trabalha muito o momento presente. Se desligar de tudo para entrar em um estado profundo de concentração, alcançar uma forte consciência corporal, prestar atenção em cada respiração, cada movimento, sem nenhuma preocupação externa. Nada mais importa, já passou. Para isso, é preciso limpar a mente e afastar os pensamentos. “Deixa que passem, não se atenha em nenhum deles”.

O minimalismo propõe um caminho semelhante, fazer somente o que nos faz bem, ter somente o que nos traz felicidade, focar no momento sem dispersões, não acumular – coisas, emails, afazeres, pensamentos. Tudo que seja excessivo, que não nos faça bem, que nos traga atitudes obsessivas. Desapegar. E principalmente valorizar seu tempo.

São coisas bem diferentes, mas com um ponto em comum. O foco e a valorização do tempo e do momento presente.

Isso me coloca frente a frente com muitas atitudes impensadas que costumo ter no meu dia a dia. O quanto me distraio com coisas menos importantes. O quanto fico ansiosa pelas coisas que preciso fazer. E o quanto tenho prazer em comprar algo novo quando as coisas não estão saindo como o planejado. E após a compra, em vez da alegria, a culpa e a frustração. A sensação ruim não passa, as vezes até piora, pois gastei um dinheiro desnecessário, que poderia ter guardado para um momento mais especial ou importante. Uma viagem, talvez!

Eu não costumo comprar coisas que não uso, mas muitas vezes compro além do que preciso, e me dou conta justamente porque demoro a ter oportunidades de usar. Mesmo assim, sempre dou um jeito de botar tudo em uso. Só que, assim, percebo que tenho coisas demais.

Sou dessas pessoas ansiosas, que quer fazer 200 coisas ao mesmo tempo e não conclui nenhuma. Abro várias janelas no Chrome juntas, começo a ler um texto e não termino, começo um trabalho, e começo outro e começo outro. Isso vai nos deixando frustrados, parece que o tempo não rende e que não fizemos nada. Por isso, essa consciência do tempo presente, do valor do tempo traduzido no dinheiro que eu trabalhei para obter, na produção que não tive, no quanto esse tempo pode ser precioso depois, me mostra o quanto procrastinar pode ser algo prejudicial, assim como gastar mais do que posso ou me distrair com coisas menos importantes.

A teoria é muito bonita, mas na prática é uma mudança muito difícil. Ao menos para mim. A concentração é algo que nos exige muito, por isso quero começar a usar o Método Pomodoro para vencer meus desafios diários. Listas também podem facilitar o nosso dia a dia, pra que nenhuma tarefa seja esquecida. E a consciência do momento presente, ela é conquistada aos poucos, a medida que vamos entendendo que a vida acontece agora e que cada minuto é importante, é vida. Não adianta ficar remoendo o passado, ou pensando no que pode acontecer no futuro. O futuro virá!

Se organizar, descobrir o que realmente precisa e o que é supérfluo. Descobrir o que se gosta de fazer e o que é um fardo. Avaliar a rotina. Valorizar dons e colocá-los em prática. Desapegar do que faz mal. Essa é a consciência que quero ter.

A vontade já tenho, pode ser um passo enorme para as coisas darem certo, para que eu evolua nas asanas do yoga, no trabalho e na vida. Afinal, somos os únicos responsáveis pelas nossas vidas. E cada ato é uma escolha. Façamos as melhores escolhas.

Namastê.

 

 

 

Como aproveitar roupas de verão no outono

O verão está terminando e isso é muito triste. Mas até que eu já tava com uma saudadezinha do frio. Com toda essa mescla de sentimentos, pq não misturar também as roupas de verão com as de friozinho e ficar muito mais estilosa?!

Vendo um post do site Steal the look que enumera 5 metas de estilo para o outono, fiquei pensando quais seriam as minhas e resolvi postar aqui.

Gosto de estar sempre me desafiando a usar minhas roupas de formas diferentes, por isso, quando surgem novas modas e ideias como as sobreposições e hi-lo eu vou logo testar. E é engraçado, pq sempre parece que tenho roupas novas quando uso novas combinações e me orgulho muito da minha criatividade.

Esse post do Steal, assim como muito outros que vejo por aí, me fez refletir sobre as coisas que tenho, o que não tenho usado e o que posso fazer de diferente.

E olha o que resolvi que vou usar, sem discussão, neste outono:

Lenços

Eu adoro lenços e tenho algumas dezenas em casa, a maioria estampados, porém parece que as nunca é o dia adequado para usá-los, ou porque o dia está quente, ou porque está muito frio e acabamos optando por cachecóis. Mas assim que começa o ventinho mais fresco, é possível usá-los até mesmo com uma regatinha, e fica super cool.

No frio, sempre achei complicado usar lenços com lã, parecia que não combinavam. Mas nessa moda de misturar texturas para deixar os looks mais ricos e interessantes, super orna. Vou testar assim que possível!

Alfaiataria + peças esportivas

Eu to enlouquecida por essas calças com modelagem cenoura, acho elas confortáveis, despojadas, arrumadinhas na medida. Misturando com camiseta em tênis, então, é estilo na certa!

Os moletons nunca sairam do meu top 5 ítens que eu mais amo nesse mundo, especialmente nessa estação em que o frio vem chegando de mansinho. Então, poder coordená-lo com roupas mais arrumadinhas e usar pra todas as ocasiões pra mim é tipo sonho. Fica muito legal!

Pantacourt com botas

Uso pantacourt no verão com tênis, rasteiras e sandálias plataformas, mas com botas ainda me sinto um pouco insegura. Tanto que escrevi esse post sobre o assunto (tudo que trago pro blog vêm das minhas próprias dificuldades em relação ao meu armário). A ideia é buscar inspiração para que possam ser aproveitadas inclusive nas estações mais frias. E não é que tem como?!

Saia midi com tênis e casaco/ malha

A saia midi entrou na minha vida há pouco, ainda me sinto um pouco estranha com ela, mas acrescentando elementos de moda, pode resultar em um look bem legal.

Sobreposições

(estou aperfeiçoando a técnica)

ket2

Adorei a ideia de atualizar o vestido jeans mais fechadinho com uma camiseta por baixo. É um detalhe que modifica e atualiza o look (foto de uma matéria do iLove).

O top por cima ou por baixo da camisa são opções muito simples e muito eficientes que multiplicam o guarda-roupa e fazem com que possamos usar todas as roupas do armário de forma mais funcional.

Usar uma blusinha por cima ou por baixo do vestido auxilia a trazer os looks de verão pros dias mais frios, adoro!

Tudo o que postei é baseado nas possibilidades que tenho no meu armário, espero possa inspirar vocês um pouquinho também!

:*

A saia de couro fake e o meu armário funcional

aprenda-como-montar-uma-vitrine

Lá estava ela, a saia preta. Plena, linda, infalível, estampada na vitrine da loja Lolita do shopping Melancia Mall em Rivera- UY. Ela estava estampada, mas não era estampada. Era pretinha como a noite, básica, comprimento ideal, bolsos utilitários. A saia era de couro fake mas daqueles que parece couro de verdade, com ranhuras e espessura à altura e vestia com maestria a magérrima manequim que fazia pose e olhava pra mim. Era um chamado de sucesso.

Fui ao shopping no domingo à noite para jantar, olhei despretensiosamente para a saia. Mas no outro dia ela matutava na minha cabeça como um martelo: “É perfeita, a marca é boa, é muito a minha cara, vale a pena, vou usar muito nos meus looks diários, pode ser super útil pra algum evento noturno também. É coringa, vai com tudo!” Mas as vezes a gente se engana. Já me deixei levar por esses meus papos anteriormente e eles são bem convincentes. E por conta disso estou lá cheia de peças novas que eu precisava muuuito, e que ainda nem tive a oportunidade de usar.

A SAIA:

 

De 2016 pra cá decidi fazer compras mais conscientes. Apesar de seguir preferindo os outlets e liquidações pra dar uma economizada na hora da compra, deixei de consumir roupas baratex em fast fashions só para ter mais um blusinha da moda. Ao menos estou tentando deixar, tanto que cheguei a ficar de 3 a 4 meses sem comprar nos últimos 2 anos mais de uma vez e por conta disso tenho menos parcelas no cartão e estou conseguindo juntar mais grana para viajar.

O fato é que há alguns meses minha vida deu uma reviravolta, comecei a namorar e minha rotina mudou consideravelmente. Troquei as noites em bares por noites assistindo filmes. Substituí a balada de sábado por fins de semana na estância (ou fazenda, como preferirem). Troquei até mesmo as aulas de spinning na academia pelo yoga (ok, isso não foi por causa do namoro). Os encontros com as amigas se tornaram eventuais e as festas estão escassas. Essas coisas de gente que namora. E, acreditem, isso teve um impacto direto no meu guarda-roupa.

De lá pra cá o tênis branco que comprei há pouco está sempre sujo, as botinhas de salto não tem mais serventia, as saias mini e mais ajustadas foram para o fundo do armário. Foi um processo natural. Minha vida mudou, estou muito feliz, mas tendo um trabalho imenso para readequar meu guarda-roupa. As vezes fico confusa e me deixo levar pela emoção na hora da compra, e acabo adquirindo peças que já não são ideias para o meu dia a dia.

Eu nunca gostei de ter roupas específicas para festas e outras para o dia. Tento colocar o máximo de peças em uso diariamente, e quem já leu parte desse blog sabe que eu faço a maior mistureba nos meus looks para criar novas possibilidades e oportunizar que todas as peças do meu guarda-roupa possam ir para a rua (olhem a pasta Eu por mim mesma do meu Pinterest). Mas trabalhar em um escritório com pessoas que usam todos os dias seu jeans e camisetas básicos as vezes é complicado para quem quer ousar e muitas peças ficam lá esperando seu momento de ver a luz fora do armário. Mesmo assim eu tento não perder a minha personalidade e me vestir do jeito que eu gosto, mesmo tendo que me manter dentro de certos limites do dress code.

Organizando minhas coisas de uma forma que consiga ter acesso fácil à todas as peças, e tirando aquelas que não tem mais a ver com o meu estilo de vida (não todas porque algumas acredito que ainda terei oportunidades de usar), comecei a me dar conta que não adianta ter uma armário com roupas modernas e maravilhosas, e uma saia de couro preta perfeita, se ele não for funcional para a MINHA rotina. Afinal, que tipo de roupas eu preciso hoje? E quais roupas que eu tenho agora no guarda-roupa realmente cabem na minha rotina?

Assim, chego a conclusão que eu querer comprar um sapato lindo com salto agulha vai ser um dinheiro posto fora, já que não terei muitas oportunidades de usar (ou talvez praticamente nenhuma). Por sorte, o salto já não estava mais protagonizando o meu cotidiano já havia um tempo e os Louloux, de sapatos colecionáveis, viraram peças de arte para serem admiradas à distância agora pra mim. E assim, a saia maravilhosa que seria a princesa do dia, se torna a bruxa má que vai fazer eu gastar meu dinheirinho em algo que provavelmente usarei muito pouco e será mais uma peça para ficar encostada no meu armário esperando sua vez.

Por isso, preferi fazer uma lista de coisas que realmente serão úteis e indispensáveis para mim nessa fase da vida (como um tricô de cachemire e uma botinha escura, sem salto), para que eu possa aproveitar ao máximo sem a culpa de ter comprado uma roupa que não vou conseguir usar. Além disso, a organização serviu para resgatar roupas que estavam esquecidas e adaptá-las aos meus novos looks, dando novas caras e possibilidades para elas.

Muitas saias pretas maravilhosas ainda cruzarão o meu caminho, e espero estar preparada para encará-las de frente e dizer: obrigada, mas no momento eu não preciso de ti.